quarta-feira, 30 de agosto de 2017

GASTRONOMIA ARABE NO BRASIL

No ensino médio a historia é dividida em período antigo, médio , moderno e contemporâneo. No período antigo e médio o primeiro ano abraça abordando civilizações antigas entre elas destacam-se a civilização árabe, para torna as aulas dinâmica e usar recurso didático os alunos apresentaram essa temática com algumas comidas tipicas, entre elas destacam se:
Esfiha, quibe ou kibe, cuscuz marroquino e pão sírio.

Turma 101

Quibe (ou kibe; em árabe كبة ['kibbeh] ou ['kubbah]) é um prato típico do Oriente Médio que consiste em um bolinho de carne moída (eventualmente substituída por proteína de soja), temperada com ervas, que pode ser cru, cozido ou frito. O nome deriva de kubbeh que em árabe significa bola. É um prato muito popular e considerado o prato nacional no Líbano, Síria e Iraque. É também comum no norte da África, na Turquia, na península arábica e em parte do Cáucaso, como na Armênia. Imigrantes dessas regiões difundiram a receita para outras partes do mundo - em especial para o Brasil




Conhecida como um prato típico árabe, a esfiha foi desenvolvida na Síria e difundida pelo Líbano; depois, para outros países de língua árabe e também no Ocidente. Sua massa tradicional é a mesma que a do pão, contudo, em decorrência da difusão do prato, a massa passou a ser preparada com outros ingredientes específicos de outras regiões. Em relação ao seu formato, a esfiha pode ser aberta ou fechada. O recheio pode ser de carne bovina, carne de carneiro, queijo, coalhada ou verduras temperadas. Depois de recheada, é assada ao forno.
A esfiha chegou ao Brasil com os imigrantes árabes (sírio-libaneses) entre os séculos XIX e XX.




cuscuz marroquino é um prato típico do Marrocos feito com sêmola de trigo, sendo possível adicionar ingredientes como legumes, caldos, carnes, frutas secas e temperos. É um prato muito apreciado e temperado. Pode-se adicionar açúcar, canela, leite ou iogurte e consumí-lo como sobremesa ou lanche. Na Sicília, esse prato é chamado de cuscusu, e no Senegal keskes, bem parecido com o prato marroquino.


Turma 102


Alem da apresentação da culinária árabe a aluna dançou a dança do ventre e explicou o motivo dessa cultura.


Turma 103



História do Pão Sírio : Séculos antes de Cristo, surgiu o Pão Sírio quando as mulheres preparavam alimentos para seus maridos e viajantes das caravanas que enfrentavam longas jornadas pelo deserto. O pão era redondo e achatado e era usado como prato, onde colocavam o trigo e as especiarias para fazer suas refeições.


quarta-feira, 23 de março de 2016

ESPETÁCULO DO MOVART: O VERDADEIRO SENTIDO DA PASCOA.



Espetáculo do MOVART: o verdadeiro sentido da páscoa


No dia 23 de marco de 2016 a escola Centro de Ensino Jose Justino Pereira, direção Vânia Menezes, contagiou os alunos sob os cuidados da professora Lucy Maire (Sociologia) uma belíssima apresentação com a temática o verdadeiro sentido da Páscoa.















O dia da Páscoa foi estabelecido por decreto do Primeiro Concílio de Niceia (ano de 325 d.C), devendo ser celebrado sempre ao domingo após a primeira lua cheia do equinócio da primavera (no Hemisfério Norte) e outono (no Hemisfério Sul).
A Páscoa é comemorada em vários países, principalmente aqueles com fortes influências do cristianismo. Os espanhóis chamam a data de Pascua, os italianos de Pasqua e os franceses de Pâques.
Etimologicamente, o termo Páscoa se originou a partir do latim Pascha, que por sua vez, deriva do hebraico Pessach / Pesach, que significa “a passagem”

Em outros países como se comemora a pascoa
Inglaterra
Na terra da Rainha Elizabeth, moradores e turistas podem celebrar o feriado de páscoa de diferentes maneiras. A mais comum é fazer com crianças, jovens e até mesmo adultos procurem ovos de chocolate em jardins e praças públicas. Outra comemoração bem interessante acontece em mansões rurais espalhadas por todo o país, onde organizadores locais preparam uma verdadeira festa para passar o dia.

Índia

Nos destinos indianos, onde o hindu é praticado, a festa ganha detalhes únicos, encontrados apenas no país. Em vez da páscoa, tal qual como conhecemos, na Índia é comemorado o festival Holi. A data é marcada para relembrar o nascimento do deus Krishna.

Suécia

Fugindo de toda a delicadeza e espiritualidade que marcam a páscoa na maioria dos países, a data na Suécia mais lembra um Halloween. As crianças saem fantasiadas de bruxas, sempre nas quintas-feiras santas ou na véspera da páscoa e visitam seus vizinhos. Diferentemente do que acontece nos Estados unidos, elas deixam cartões decorados, pedindo doces ou dinheiro, em vez de baterem nas portas e perguntarem o famoso “trick or treating?”

Filipinas

Seguindo uma tradição muito parecida com a Via Sacra que acontece durante a sexta-feira santa, no Brasil, a data nas Filipinas também é marcada por uma procissão.Lá,
 a manifestação pelas ruas marca o encontro de Jesus com a mãe, depois da ressurreição. Homens seguem uma imagem de Cristo, enquanto mulheres vão atrás de uma imagem que representa a Virgem Maria, que aparece coberta por um manto negro. No final do ritual, as duas fileiras se encontram e crianças vestidas de anjo retiram o véu negro, que simboliza o luto dos fiéis. Depois disso, a festa toma conta das ruas e a ressurreição é então celebrada.

Alemanha

Na tradição germânica, a festa cristã dá lugar para a celebração dedicada a Ostara, deusa da primavera. A data é marcada por fogueiras e festivais que animam moradores e turistas que se unem com um único objetivo: comemorar a chegada da primavera, que simboliza a renovação da vida e da esperança.
(extraído do site www.skyscanner.com.br › Notícias de viagem)

Na China
O 'Ching-Ming' é uma festividade que ocorre na mesma época da Páscoa, onde são visitados os túmulos dos ancestrais e feitas oferendas, em forma de refeições e doces, para deixá-los satisfeitos com os seus descendentes.
Nos Estados Unidos
A brincadeira mais tradicional ainda é a 'caça ao ovo', onde ovos de chocolate são escondidos pelo quintal ou pela casa para serem descobertos pelas crianças na manhã de Páscoa. Em algumas cidades a 'caça ao ovo' é um evento da comunidade e é usada uma praça pública para esconder os ovinhos.
Como expressamos a páscoa em vários idiomas
Espanhol: FELICES PASCUAS;
Italiano: BUONA PASQUA;
Macedônio: SREKEN VELIGDEN;
Inglês: HAPPY EASTER;
Grego: KALO PASKA;
Chinês: FOUAI HWO GIE QUAI LE;
Árabe: EID-FOSS'H MUBARAK;
Croata: SRETUN USKRS;
Húngaro: Boldog Husveti Ünnepeket;
Polonês: Wesolych Swiat;
Sueco: Glad Påsk;
Holandês: Gelukkig Paasfest;
Norueguês: God Påske;
Turco: Mutlo (eller Hos) Paskalya;
Português: Feliz Páscoa.


sábado, 5 de março de 2016

NAVEGANDO NA HISTORIA

ATRAVES DESTE LINK VOCE PODERÁ FAZER UMA VIAGEM DE FORMA DIVERTIDA E ADQUIRIR NOVOS CONHECIMENTO SOBRE A HISTÓRIA.

OS JOGOS ABORDAM:

DESCOBRIMENTO
ESCRAVIDAO
INDEPENDENCIA
INCONFIDENCIA MINEIRA

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

PALESTRA

PALESTRA
Outra forma de envolver os alunos de forma dinâmica e criativa é com palestra, pois facilita a teoria da pratica. O relatório abaixo  foi descrito por uma aluna do Centro de Ensino Jose Justino Pereira, situada na Cidade Operaria, São Luís.
TEMÁTICA: IMPERIALISMO JAPONÊS
Aluna: A.S.L
Turma:303
Turno: matutino
Prof.: Ilma Araujo


A palestra foi realizada no dia 17 de abril de 2015 na escola Jose Justino Pereira pelo palestrante Genilson Pavão Almeida, que nos informou sobre a convivência da sociedade japonesa, suas culturas entre outras coisas.
O Japão por ser um pais industrializado, tornou-se um grande pais com a segunda grande guerra, foi um pais onde a arma de fogo foi introduzida pelos portugueses e com fortes abrangimentos de ilhas.
A educação entre um dos principais pontos encontrados no Japão, é considerado uma característica importante, pois a educação do pais vem gerada desde o nascimento, o ensinamento na escola, um pais bastante destacado no mundo.
Em 1868 foi restaurado o poder imperial no Japão, subtraindo aos shoguns o poder feudal, que existia desde o século XII. Subiu ao trono o jovem imperador Mitsubito , conhecido pelo nome de Meiji. A era Meiji, como ficou conhecida, representou um período de grandes mudanças na historia do Japão.
Completados as reformas internas, o governo decidiu-se a alcançar uma condição de igualdade com as potencias ocidentais. Uma reforma dos tratados, com vistas a atingir os privilégios judiciais e econômicos desfrutados pelos estrangeiros, foi tentado desde o inicio, mas as potencias envolvidas recusaram-se a tratar do assunto ate que as instituições legais japonesas se equiparassem as ocidentais.

Os assuntos asiáticos ocuparam lugar secundário da política externa dos primeiros anos, mas já o inicio da década de 90 tornava-se clara a predominância chinesa na Coréia o que alarmava Tókio. Em 1894, uma rebelião na Coréia foi esmagada com apoio dos chineses. O Japão enviou tropas ao pais vizinho e cessada a crise, recusou-se a retira-las.....